Twitter Facebook

CUT CONTICOM > LISTAR NOTÍCIAS > DESTAQUE CENTRAL > PARA ATACAR PRESIDENTE DA OAB, BOLSONARO DIZ QUE SABE COMO SEU PAI MORREU

Para atacar presidente da OAB, Bolsonaro diz que sabe como seu pai morreu

30/07/2019

Fernando Santa Cruz foi preso pelo DOI-Codi e desapareceu. Felipe Santa Cruz divulgou nota falando que Bolsonaro é cruel e não tem empatia

Escrito por: Redação CUT

notice

Entre as várias declarações estapafúrdias que deu nesta segunda-feira (29), Jair Bolsonaro (PSL) deu uma que pode colocá-lo no lugar de cúmplice de um crime, como disse a deputada Gleisi Hoffmann, presidenta do PT.

Bolsonaro decidiu, mais uma vez, reclamar da atuação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) na investigação do caso da facada, supostamente dada por Adélio Bispo, e de forma confusa e desconexa disparou contra o presidente nacional da entidade, Felipe Santa Cruz, dizendo que poderia dizer como o pai dele desapareceu durante a ditadura militar.

"Por que a OAB impediu que a Polícia Federal entrasse no telefone de um dos caríssimos advogados? Qual a intenção da OAB? Quem é essa OAB? Um dia, se o presidente da OAB quiser saber como é que o pai dele desapareceu no período militar, conto pra ele. Ele não vai querer ouvir a verdade. Conto pra ele", disse de acordo com todos os portais de notícia do país.

Fernando Augusto Santa Cruz de Oliveira desapareceu em fevereiro de 1974, quando Felipe tinha dois anos. Ele foi preso por agentes do DOI-Codi com um amigo, Eduardo Collier, no Rio de Janeiro. Era estudante de Direito, funcionário do Departamento de Águas e Energia Elétrica em São Paulo e integrava o grupo Ação Popular Marxista-Leninista. Dona Elzita Santos Santa Cruz morreu com 105 anos sem saber o que tinha acontecido com o filho.

E Bolsonaro continuou a falar de forma descontextualizada, como sempre faz: “Não é minha versão. É que a minha vivência me fez chegar nas conclusões naquele momento. O pai dele integrou a Ação Popular, o grupo mais sanguinário e violento da guerrilha lá de Pernambuco e veio desaparecer no Rio de Janeiro”. No relatório da Comissão Nacional da Verdade, responsável pela investigação de casos de mortos e desaparecidos durante o período de repressão, não há registro de participação de Fernando na luta armada.

Gleisi Hoffmann foi uma das primeiras a se indignar com a fala de Bolsonaro. Por meio do Twitter ela disse: “Se Bolsonaro sabe como foi o desaparecimento do pai do presidente da OAB, sabe de um crime e não tomou nenhuma providência? Isso é corresponsabilidade. Bolsonaro é cúmplice e, a partir de hoje, réu confesso!”.

  • Imprimir
  • w"E-mail"
  • Compartilhe esta noticia
  • FaceBook
  • Twitter

Conteúdo Relacionado

Nome:
E-mail:
Título:

Saúde e Segurança DIEESE Brasil Atual
NEWSLETTER

Digite seu e-mail para receber nossos informativos


CONTICOM

Rua Caetano Pinto nº 575 CEP 03041-000 Brás, São Paulo SP | Telefone (0xx11) 3330-3668 - Fax (0xx11) 3330 3669